Este blog não possui nenhuma afiliação social, empregatícia, financeira ou política a não ser comigo mesmo. As opiniões expressas aqui refletem meu ponto de vista sobre assuntos aleatórios e nada mais. Comentários são mais do que bem vindos, são encorajados, positivos ou não. Até prefiro comentários oposicionistas, afinal um mundo que pensa igual é desprovido de inovação. Portanto, sinta-se em casa. Espero que ler minhas verborréias esporádicas traga-lhe o mesmo prazer que tenho produzindo-as.

[ваκκєr]

P.S. Algumas vezes algo que eu quero expressar não pode ser dito (apenas) com palavras, então vai parar em meu fotolog ao invés de aqui. Confira-o de vez em quando.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Rio Preto, assombrada

Como Imposto de Renda e gripe, a semana de férias em Rio Preto é uma tradição anual. E cá estou, desde sábado. O calor é de rachar, como de costume, e não há nada pra fazer, como de costume. O que mudou foi que o ano de 2008 foi ainda pior do que de costume e isso tem reflexos, na minha psique tanto quanto no mundo físico.
A Baby, a poodle psicopata que passou a última década e meia aqui em casa aterrorizando as visitas acabou falecendo ontem. Ela sobreviveu a um câncer, uma hepatite e a perda de um olho mas sucumbiu ainda assim. E eu, como bom bicho-cachorreiro, estou me sentindo uma bosta com tudo isso.
Não me entenda mal. Como minha ex-namorada costuma tirar sarro do meu ateísmo, "when you die, nothing happens". Não acredito no paraíso nem no inferno (apesar de ter nascido na sua filial terrena) e definitivamente não acredito em fantasmas e assombrações. Mas a verdade é que, desde que o Vavana morreu, eu tenho visto ele em todos os cantos. E aqui em Rio Preto o efeito está amplificado à beira da neurose. Vejo ele em todos os lugares aonde vou, caminhando no shopping, bebendo com amigos, se divertindo.
Difícil entender que tipo de culpa estou expurgando. Não ter tido a chance de visitá-lo no hospital ? Ir ao velório dele ? Ou talvez não haja culpa nenhuma, apenas uma saudade de um cara muito querido em uma época na qual eu costumo visitar a maior quantidade de amigos possível.
Ou talvez eu tenha finalmente pirado do vez. É, vai ver é isso.

4 comentários:

Bruno disse...

isto tem 2 nomes....

ou é comportamento psicotico...
ou é saudosismo...

em ambas as opções o melhor tratamento é pedir prum motoboy arrancar o seu retrovisor e seguir em frente...

PEQUENO disse...

medite, reflita, toma uma cerveja e boa.. acalma qualquer ser..

Anônimo disse...

MENINO MEDIUMNICO!!!!!!

Viu mesmo? Ou achou que viu?

Dania

Naty disse...

Preciso dizer...
O calor de Rio Preto realmente tem efeitos inexplicáveis... Principalmente por ser a filial terrena do inferno...
Mas morar debaixo da churrasqueira do céu (Ribeirão Preto), em pleno verão, durante churrascos intermináveis que quando terminam, acabam por encher meu apê de fuligem, não tem preço.
Hoje fez 44 graus... And still alive and counting!