Este blog não possui nenhuma afiliação social, empregatícia, financeira ou política a não ser comigo mesmo. As opiniões expressas aqui refletem meu ponto de vista sobre assuntos aleatórios e nada mais. Comentários são mais do que bem vindos, são encorajados, positivos ou não. Até prefiro comentários oposicionistas, afinal um mundo que pensa igual é desprovido de inovação. Portanto, sinta-se em casa. Espero que ler minhas verborréias esporádicas traga-lhe o mesmo prazer que tenho produzindo-as.

[ваκκєr]

P.S. Algumas vezes algo que eu quero expressar não pode ser dito (apenas) com palavras, então vai parar em meu fotolog ao invés de aqui. Confira-o de vez em quando.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Explosão (e distorção) demográfica

Este bloguezinho tem seus vinte ou trinta visitantes por semana. Mas nos últimos sete dias, graças à menção da tradução de Printcrime no BoingBoing, ele teve 270. Sim, um aumento bem na faixa dos mil-por-cento. Mas o mais interessante foi ver como os leitores do BoingBoing e do Craphound.com, e por herança indireta nesses sete dias meus próprios leitores, são de uma estirpe diferente do resto da internet. Usando estatísticas desse próprio blog, das três semanas anteriores, metade dos leitores era usuária de Internet Explorer (este número na internet em geral é ainda maior) mas nessa semana o Firefox dominou com mais de 60%. Em sistemas operacionais a coisa foi ainda mais brava: nas três semanas anteriores o Windows dominava com mais de 90%. Na semana da publicação de Printcrime, um décimo dos leitores usava Linux, mais de 15% usava Mac OS e até mesmo um iPhone e quatro iPod Touch visitaram o Crônicas, o que dá pra lá de 5 vezes mais usuários de sistemas 'alternativos' do que normalmente. Mesmo os usuários de Windows evoluíram: nenhum usuário de Vista nas três semanas anteriores contra praticamente 25% de Vista na semana passada.
Onde quero chegar com tudo isso ? Primeiro, que a adoção de tecnologias acontece em diferentes rítmos em diferentes círculos sociais. Segundo, que existe sim um usuário "médio" e uma "elite esclarecida" (que aparentemente precisa ser convidada por uma celebridade pra dar as caras no meu blog, caso contrário ela desaparece correndo). E terceiro que apenas um décimo de usuários de Linux num país em que ninguém tem dinheiro pra gastar em software é MUITO pouco. Existem versões de Linux com a mesma facilidade de uso do Windows e que não custam nada, nem obrigam as pessoas a recorrer à pirataria (eu uso uma licença acadêmica de Vista 64 bits, antes que alguém me acuse de hipocrisia). Para aqueles que precisam de um empurrãozinho extra, eu recomendo o Ubuntu e o OpenSUSE.

Tá esperando o que pra ir lá e trocar esse Windows pirata aí, vagabundo !?

3 comentários:

Anônimo disse...

Such a grumpy love!!!

Bruno disse...

algumas consideracoes :P

1: qualquer OS de 64bits so presta se vc tiver mais de 4gb de ram, tendo notoria melhora acima dos 16gb E se vc usar softwares de 64bits tb...

2: OpenSUSE é um cancer entre as distribuicoes linux. eu nao consegui me adaptar a ele.. prefiro o CentOS (RHEL s/ branding) ou o Ubuntu...

3: Quando comprei meu note, ele veio com o vista... pedi pra dar baixa da licença e ter o valor estornado. a MS disse que era com a microboard, que por sua vez disse que "perdeu preiboi... noiz num faiz içu!"

4: num pais onde as pessoas tem medo de programar até os canais da tv (que é um processo de pouco mais de 4 toques no controle) nao me admira as pessoas se apegarem tanto ao windows, mesmo que pirata... a resistencia a mudança é muito grande e inerente a natureza do ser humano.

Fabio Fernandes disse...

Falando no PrintCrime (cuja tradução ficou bem bacana, mas eu já te disse isso), você recebeu meu último e-mail?

Abraço!